Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Frente Parlamentar de Apoio ao Transporte Ferroviário é lançada na Alesp

Grupo quer unir forças com o Executivo, aprimorar legislação, acompanhar e fiscalizar a implantação do Trem Intercidades, que ligará Campinas à Capital - Foto: Rodrigo Costa

Sob a coordenação do deputado Dirceu Dalben (Cidadania), foi lançada nesta quinta-feira (26) a Frente Parlamentar para Discussão e Aprimoramento da Legislação e de Políticas Públicas da Malha Ferroviária do Estado de São Paulo. O grupo ainda conta com o apoio de outros 42 parlamentares, das mais diversas legendas, na Assembleia Legislativa. O objetivo é resgatar uma antiga vocação do transporte de passageiros e cargas por ferrovias paulistas. O modal é tido como mais sustentável, econômico e sinônimo de desenvolvimento para todas as regiões de cobertura.

Durante décadas, desde o final do século 19, o sistema ferroviário foi um relevante fator de desenvolvimento. As linhas de trem eram o principal meio de locomoção das pessoas e trânsito de mercadorias. Agora, existe um trabalho unindo o Legislativo e o Executivo para uma profunda revitalização desse modal, tendo como um dos principais projetos a implantação do Trem Intercidades que, inicialmente, ligará a Região Metropolitana de Campinas à Capital.

Benefício

“Um país continental como o Brasil, com uma grande capacidade econômica, nunca deveria ter deixado de lado a matriz do transporte ferroviário. Por isso, é uma grande satisfação instalar essa Frente Parlamentar na Alesp. O objetivo do grupo é ser um instrumento da sociedade civil e das entidades governamentais para que possamos unir forças, aprimorar a legislação, acompanhar e fiscalizar as obras. Tudo para que a população recebe o benefício principal”, afirmou Dirceu Dalben. “A Alesp é um personagem importante nesse momento. A Casa aprovou legislação e financiamentos nesse setor e, agora, cria um instrumento para aprimorar esse transporte em nosso Estado”, acrescentou o parlamentar.

Empenho

O colega Barros Munhoz (PSDB) apontou o grupo lançado ontem como fundamental para a atual Legislatura. “Tenho a impressão de que, dentre tantas frentes que nós criamos, essa é a mais importante. A Alesp tem que lutar por esse assunto. Você nunca pode afiançar que haverá vitória, mas jamais desistir da luta. Essa é uma causa justa e devemos oferecer o máximo de empenho. Esse assunto merece toda a nossa atenção”, comentou ele.

Gerações

O deputado Rui Alves (Republicanos), que também participou da mesa durante o lançamento, lembrou que tem uma ligação de carinho com o tema. “Falar de ferrovia, para mim, é algo muito impactante. Eu sou filho de ferroviário, somos três gerações. Fui funcionário da Rede Ferroviária Federal. Desde a minha infância, ferrovia era sinônimo de desenvolvimento. Estamos falando de uma das principais formas de transporte das riquezas do Brasil”, disse.

Prestigiando o evento coordenado por Dalben, o deputado federal Alex Manente (Cidadania) reforçou a importância do tema e garantiu que levará as demandas para o debate em Brasília. “De fato, o Brasil precisa buscar alternativas em sua logística. Um país com esse potencial e um estado como São Paulo merecem alternativas, e não ficarem apenas condicionados ao modal rodoviário. Precisamos incentivar para que iniciativas possam levar o desenvolvimento a todo o País”, comentou.

Prefeitos e vereadores

Participaram do evento na Alesp, dezenas de autoridades entre prefeitos, vereadores, técnicos e membros de associações ligadas ao setor. O prefeito de Sumaré, Luiz Dalben, esteve na mesa: “Por muitos anos, a malha ferroviária do nosso país ficou esquecida. Mas, agora, com a criação dessa Frente Parlamentar esse tema estará sempre como prioridade na pauta”, afirmou.

O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, também deixou a sua mensagem de apoio à frente parlamentar e à retomada do transporte de passageiros por esse modal. “Essa frente parlamentar vai mostrar a força política que a gente precisa para tirar, de fato, esse sonho do papel. O transporte ferroviário é muito mais seguro, econômico e gera desenvolvimento. O Trem Intercidades é algo viável, um projeto que pode ser concretizado, com empresas interessadas em implantar aquela que será a ligação entre duas grandes regiões metropolitanas do Brasil”, comentou Reis.

Investimentos

Rafael Benini, secretário estadual de Parcerias em Investimentos, representou o governador Tarcísio de Freitas no encontro. Ele detalhou os passos que estão sendo realizados para a efetivação do leilão de concessão – no formato de Parceria Público-Privada (PPP) -, marcado para 29 de fevereiro de 2024. Será um investimento de R$ 13,5 bilhões, sendo R$ 8,4 bilhões de aporte do Estado. Todo o projeto deverá estar entregue até 2031. De acordo com Benini, os trens sairão a cada 15 minutos nos horários de pico e terão uma capacidade média de 800 passageiros por viagem. Entre Campinas e São Paulo, trajeto de 64 minutos, os trens farão uma parada em Jundiaí.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta